Ninguém

Se eu pudesse ser alguém, seria alguém leve. Alguém que não se preocupa. Alguém que não liga. Alguém que não se irrita. Alguém que está sempre calmo, que sempre entende, que sempre sabe o que falar e o que não falar. E quando não falar e falar.

Seria sempre sorrisos. Sempre abraços. Sempre palavras bonitas. Seria gestos harmoniosos, caridosos e elegantes. Seria sempre bom e nunca mau. Sempre bem e nunca mal. Seria positivo, altivo, ativo, alívio. Seria sempre sol e chuva somente quando precisasse. Seria alegria, felicidade. Seria paz. Continuamente. Seria só sim, e nunca não — a não ser que não fosse a melhor resposta.

Se eu pudesse ser alguém, não seria eu. Não seria raiva. Não seria impaciência. Não seria orgulho ou inveja. Não seria irritado ou melancólico. Não seria preocupado nem daria importância para o que os outros dizem ou pensam. Porque eu seria seguro. Seria maduro. Seria alguém.

Mas eu não sou assim. Eu não sou legal. Eu não sou ninguém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s