30 LIVROS EM 1 ANO – Invisível (David Levithan e Andrea Cremer) – Livro 14

The Blurb: Stephen tem sido invisível por praticamente toda sua vida – por causa de uma maldição que seu avô, um poderoso conjurador de maldições, lançou sobre a mãe de Stephen antes de ele nascer. Então, quando Elizabeth se muda para o prédio de Stephen em Nova York vinda do Minnesota, ninguém está mais surpreso do que ele próprio com o fato de que ela pode vê-lo. Um amor começa a surgir e quando Stephen confia em Elizabeth o seu segredo, os dois decidem mergulhar de cabeça do mundo secreto dos conjuradores de maldições e dos caçadores de feitiços para descobrir uma maneira de quebrar a maldição. Elizabeth e Stephen devem decidir o quão grande é o sacrifício que estão dispostos a fazer para que Stephen se torne visível – porque a resposta pode significar a diferença entre a vida e a morte. (sinopse retirada do Skoob)

DSC_0117

Agora a minha opinião: eu gostei do livro. Achei interessante o tema principal, tão diferente e original: um garoto invisível, que ninguém consegue ver, nem ele mesmo. Esse é um assunto que pode criar uma discussão imensa e que pode, daí, surgir um livro maravilhoso e trilhar caminhos fantásticos. Porém, uma coisa estragou o livro: o fator romântico. Me incomodou o jeito como o casal protagonista (Stephen e Elizabeth) se ama, tão melodramático e não-real. Em certa parte, um deles (não me lembro qual dos dois) diz que eles são dois que viram um. “Dois como um”, são as palavras exatas. E isso me incomoda. Um casal não são dois que viram um, e sim um mais um que viram dois, unidos. Entende a diferença? Essa ideia de que 1+1=1 me revira o estômago porque parece que as duas pessoas perdem a sua individualidade e se transformam em um ser único que não sabem ser separados, que pensam e agem igual e precisam estar em sintonia o tempo todo, e a realidade não é assim – ainda bem! O amor não é isso, é poder pensar diferente, agir diferente, não estar em sintonia e, ainda assim, continuar amando um ao outro. Essa ideia de amor ultra romântico é que estraga muito relacionamento por aí (tô cansada de ouvir e ler sobre casos) e que faz as pessoas, principalmente as mulheres, esperarem por algo que não existe e nunca existirá. Sem contar que é altamente piegas e brega, né? Tem uma frase do livro que quase vomitei quando li: “O rosto de Laurie se transforma em linhas e curvas de ansiedade e amor.” REALLY? E olha que essa frase nem é em relação ao casal principal, e sim ao irmão da protagonista (o personagem mais legal). Imagina as falas do casalzinho? “Agora estão livres e inundam meu olho. São tantas, por tanto tempo, que que penso que provavelmente vou me afogar nelas.” Oh God, why so melodramatic????????? E quando ela está sendo chata e errada e impulsiva e fazendo uma grande merda e ele fica defendendo ela como se todos os demais estivessem errados e ela certa (sendo que ela não estava certa at all)?????? Pelo amor de Deus!!!!!!! Deu vontade de dar uma sacudida em ambos e gritar, “enxerguem a realidade!”, o que é meio irônico quando o personagem principal. é invisível.

Os autores David Levithan e Andrea Cremer.

Os autores David Levithan e Andrea Cremer.

Há vários exageros também, o que torna tudo um pouco over, como eu já disse. Algumas frases toscas, às vezes querendo ser muito inteligente quando não há nada de genial ali (uma frase que me fez revirar os olhos foi “O que acontece quando o Lobo Mau chega ? Será que a casa se mantém em pé ou será que tudo é destruído?”, uma analogia desnecessária e que não faz muito sentido).Mas sei que a tradução pode piorar um pouco as coisas e, nesse livro, piorou bastante. Não gostei da tradução, e no Kindle sempre tem uns errinhos de edição que me incomodam bastante. Mas, tradução a parte, achei muito novela mexicana para o meu gosto de qualquer jeito.

Porém, não só de coisas ruins é feito esse livro. Nem de frases dramáticas demais. Tem sim algumas que são bastante interessantes e te fazem pensar, como a da foto a seguir.

DSC_0115

Além disso, como eu disse lá no início, a ideia do livro É boa. Fiquei bastante surpresa com o rumo que ele tomou, indo para um caminho mais fantástico, de fantasia que, apesar de enquanto eu lia eu achar estranho, pensando agora achei uma boa direção a se tomar. E tem personagens legais, como o irmão da Elizabeth (Laurie) e senhora dona de uma loja de gibis (esqueci o nome dela). É um livro com uma história diferente e interessante, mas você tem que deixar de lado a historinha de amor que é chatinha. A não ser que você goste de relacionamentos assim, mega românticos. E inexistentes.

Alguns trechos que gostei.

Alguns trechos que gostei.

_________♥_____________♡________

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

Meus livros!

Queria Tanto (primeiro livro, publicado em 2011)

Coisas não ditas (segundo livro, publicado em 2013)

1535031_10202135446521247_1053149576_n1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s