O menino e o mundo e a vez dos oprimidos

Capa_Blog03_b (1)

Indicações: Melhor Animação.

Sinopse: Um garoto mora com o pai e a mãe, em uma pequena casa no campo. Diante da falta de trabalho, no entanto, o pai abandona o lar e parte para a cidade grande. Triste e desnorteado, o menino faz as malas, pega o trem e vai descobrir o novo mundo em que seu pai mora. Para a sua surpresa, a criança encontra uma sociedade marcada pela pobreza, exploração de trabalhadores e falta de perspectivas. (sinopse do site AdoroCinema)

alé-alto 

É quase certo que Divertida mente vai ganhar o prêmio de melhor animação do Oscar, o que é muito triste por dois motivos: 1) o filme (Divertida mente) é chato, previsível e muito infantil demais; 2) O menino e o mundo deveria ser o grande ganhador dessa categoria porque é um filme sensacional – apesar de eu não ter assistido aos outros indicados.

Fui ver O menino e o mundo sabendo que ele seria especial – críticas e as poucas pessoas que conheço que já tinham visto disseram que é um filme muito, muito bom. Mas eu não esperava que seria tão especial quanto foi. Pra vocês terem noção, depois que acabei de assisti-lo, fiquei uns bons muitos minutos sem conseguir me mexer – juro! -, de tanto que o filme toca a gente, de tanto que ele mexe com vários sentimentos e questões que temos. Pela sinopse acima, dá pra perceber que é um filme de denúncia. Denúncia da nossa sociedade que só enxerga uma parcela da população – e uma parcela do país, pois sabemos que quase todo mundo acha que o Brasil é somente o sudeste do país, fazendo todas as outras áreas, tão importantes quanto, ficarem esquecidas. É um filme que conta uma história que nós achamos que só acontecia há muito tempo atrás, mas que não, continua acontecendo. E isso nos obriga a olhar pras nossas próprias vidas, e ver o quanto somos abençoados e privilegiados por ter a vida que temos, apesar das dificuldades, e perceber que, na verdade, as nossas dificuldades e o nossos problemas são minúsculos se comparados aos problemas e dificuldades de grande parte da população brasileira. E isso mexe, e isso toca, e isso dói, e isso angustia, e por isso o filme é tão importante. Pra gente perceber que não dá pra ficar parado, que a gente tem que fazer algo pela gente e pelos outros também. Que a gente tem que lutar por um governo que enxergue a todos, e não só por uma parcela da população. Que a gente tem que fazer mais, muito mais. Sério, se você não se sentir mexido por esse filme, você não tem coração.

tumblr_mtwia436rP1rb1rgoo1_1280-679x254

Agora aos aspectos técnicos do filme: são impressionantes! O filme não tem falas, não falas que a gente consiga entender, pelo menos. As falas foram todas gravadas por atores, mas foram invertidas para soar como uma língua inventada. Exatamente pra gente não entender o que fala. E, ainda assim, mesmo sem entender as palavras, nós sabemos exatamente o que cada personagem quer dizer e como estão se sentindo. Mesmo sendo desenhos simples – eles não usaram 3D, foi tudo feito com canetinha, giz de cera e colagens-, com quase nenhum traço nos rostos. Ainda assim, é claro o sentimento. E é de uma sensibilidade o filme! E de uma beleza! Os desenhos todos, as músicas, os sons! Aliás, os sons foram feitos, em sua maioria, pelo grupo musical Barbatuques (que eu amo!) e do Grupo Experimental de Música, o GEM; Foram sons todos criados especialmente para o filme, pra representar como uma criança interpreta cada som que está na sua vida – só os sons de chuva e trovão não foram criados dessa forma. E todo esse preciosismo e detalhes que esse filme exibe o transformam num filme espetacular. Nenhum filme de animação me tocou tanto quanto esse, nenhum foi tão forte e encantador quanto O menino e o mundo.

collage

Os grupos Barbatuques (esq.) e GEM (dir.).

É um filme tão especial e único que não tem nem muito como explica-lo. O melhor é assisti-lo. Mas pra explicar um pouquinho melhor pra vocês, deixo um pequeno vídeo do making of, pra verem como foi incrível o processo de produção dele – ou uma partezinha mínima dele.

Deixo também uma entrevista com o diretor do filme, Alê Abreu, onde fala um pouco sobre o filme e sobre a indicação ao Oscar. Aliás, sabia que o filme ganhou o prêmio Annie Awards, na categoria melhor animação independente, no dia 06 de fevereiro desse ano, lá nos Estados Unidos? Vamos torcer pra seguir esse caminho e ganhar também o prêmio nesse domingo (sim, o Oscar já é nesse próximo domingo, dia 28!), pra que mais pessoas se interessem em assistir esse filme tão maravilhoso.

_________♥_____________♡________

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

Snapchat: liviabrazil

Meus livros!

Queria Tanto (primeiro livro, publicado em 2011)

Coisas não ditas (segundo livro, publicado em 2013)

para o blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s