Sobre a necessidade dos filmes “ruins”

Eu já estou há 5 meses sem trabalhar, o que significa que fico muito tempo em casa, o que significa que eu fico angustiada e nervosa e ansiosa e deprê costumeiramente (porque uma coisa e você trabalhar e ter um tempo pra fazer nada, outra e esse tempo perdurar para sempre). E eu ainda tenho insônia, o que piora tudo ainda mais. E essa semana eu ainda estava doente, o que piorou minha insônia. Mas Livia, essa avalanche de coisas ruins vai ter um fim e tem um propósito ou, pelo menos, uma ligação com o tema do post?, você me pergunta. Vai sim, padawan, paciência tenha.

E numa noite dessas (mais exatamente, dois dias atrás) de insônia gripada e ansiedade extrema, eu percebi que não podia deixar isso tomar conta de mim e liguei a televisão (depois de varias tentativas frustradas de escrever algo). Como não tinha nada interessante passando e eu não tava a fim de ligar o videogame (para entrar no Netflix), procurei um filme pra ver no Now da Net (pra quem não tem, e tipo um Netflix da Net, de programas dos canais da Net, mas você paga por filme que assiste, porem, tem filmes grátis também, no caso, era entre esses filmes que eu procurava um). Eu tinha um objetivo em mente: encontrar um filme idiota que me fizesse rir e tirasse todos os problemas da minha cabeça. Encontrei o filme Vizinhos, que eu já tinha visto trailer um tempo atrás e sabia ser exatamente assim, e ainda tinha o plus de ter Seth Rogen, ator que adoro. Outro plus foi ter Zac Efron assim como esta na foto, mas isso só soube depois de já ter dado play.

img2

Hey-yo!!!!

O filme atingiu em cheio meu objetivo. Obviamente, não da pra esperar um filme super cheio de mensagens boas e que você sai pensando varias coisas sobre a vida, o universo e tudo mais. Mas consegue sim te fazer rir, e como era isso que eu queria, por mim a missão foi super bem cumprida.

So pra contextualizar, Neighbors (no original) conta a historia de um casal de 30 e poucos anos que tem uma filha pequena e acabou de comprar uma casa em um bairro legal. So que, pouquíssimo tempo de se mudarem, a casa ao lado e ocupada por uma fraternidade (olha que merda!) barulhenta. Como eles estão naquela fase da vida de tentar se afastar do rotulo de velhos (aquela fase horrorosa que você ainda se considera jovem, mas os jovens de verdade já te consideram velhos, e você quer se manter jovem, mas não tem mais atitudes de jovem e… ah! pra resumir, a faixa dos 30. I`m there!), se aproximam dos presidentes da fraternidade (Zac Effron e o adorável – adorável porque eu adoro ele – Dave Franco, sim, irmão de James Franco) pra mostrar que são cool, mas ao mesmo tempo querem pedir pra eles maneirarem na zoeira. A melhor cena pra mim e a dos dois treinando o jeito que vão chegar para falar com os garotos. Me escangalhei de rir! Ok que qualquer coisa que o Seth Rogen faz eu rio horrores (adoro o tipo de comédia que ele faz, e esse filme tem a cara dele, apesar do roteiro e da direção não serem dele).

505517.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Poster do filme.

Enfim, pra resumir, eu adorei o filme, ri muito, e fui dormir muito mais tranquila e leve, mesmo tendo me identificado muito mais com o casal de 30 e blaus anos do que com os garotos da fraternidade, o que só indica que estou mesmo velha. Não que eu fosse me identificar com os caras de fraternidade quando era mais nova, porque sempre achei idiota essa ideia toda de fraternidade e de festas sem fim e de pessoas que só pensam em beber e em pegação. Se eu visse o filme há dez anos, me identificaria muito mais com o casal também, mesmo estando longe de ter filhos (o que continua sendo o caso hoje) e não tendo minha casa própria nem sendo casada.

Mas, voltando ao filme, exatamente por essa sensação de leveza que o filme me passou que filmes assim são necessários. Eles são os filmes que gosto mais de ver? Não. Eu escolheria esse filme num dia normal? Não. (se bem que como puxo sardinha pro Seth, eu veria sim, de qualquer jeito) Mas esse estilo de filme cabe exatamente em dias assim, quando tudo que você quer e precisa e rir e se divertir. Eu sou totalmente contra o movimento de que todos os filmes devem fazer você pensar e passarem uma lição e uma mensagem profundas. Eu acho que a maioria das pessoas só vê filme que não acrescenta muita coisa e deveria ver mais filmes que tem a qualidade melhor? Sim. Eu acho que, principalmente no Brasil, a maioria dos incentivos são dados a realizadores que produzem filmes de comédia e filmes que não tem uma qualidade técnica muito boa? Sim. Mas essa e uma discussão sobre a cultura no Brasil que não cabe discutir no momento. Mas isso não quer dizer que os filmes bobos não devam existir, porque as nossas mentes precisam descansar. Imagina se num dia como o que eu estava tendo quando vi Vizinhos eu buscasse um filme e só tivesse filmes que são considerados bons pela critica? Eu acho que não ia dormir com a mesma leveza. Sim, eu sei que também existem comédias excelentes e de melhor qualidade, como os filmes do Wes Andersen (falei um pouco sobre ele nesse post aqui), mas eu queria algo muito bobo e rapidinho, o que não e o caso. Então Vizinhos foi ideal pra minha cabeça e meu estado de espírito do momento. Esses filmes mais bobinhos são muito necessários!

Como eu disse uma vez sobre literatura, acho que deve haver um equilíbrio. Acho péssimo, como mencionei acima, pessoas que só assistem a esse tipo de filmes porque ficam muito limitados intelectualmente. Ha vários filmes maravilhosos que adicionam muito para nossa experiência de vida e o modo como enxergamos o mundo – e filmes como Vizinhos, sejamos sinceros, não estão incluídos nessa categoria. Mas eles tem sua função no mundo, que e divertir, distrair, fazer rir, e isso pode mudar pra melhor o dia de uma pessoa, exatamente como aconteceu comigo. Por isso, graças a todos os deuses existem esses filmes bobos pra inserir um pouco graça nas nossas vidas serias e colorir um pouco mais os dias.

Assim como ver Zac Efron também ajuda.


Gente, mudando um pouco de assunto, amanha tem aquele dia que gostamos de chamar de Dia dos Namorados, e se você ainda não sabe o que dar pro seu bo ou pra sua boo (alguém ainda usa essas expressões ridículas?), no meu canal no YouTube eu ensinei a fazer uma caixinha mega fácil e mega barata usando fotos de vocês dois. Super dica! Beijos!

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

1535031_10202135446521247_1053149576_n