Quer parar o tempo?

Eu fui aquela criança viciada em Sandy & Junior. Sabia todas as músicas, todas as coreografias, enchia o saco dos meus pais de tanto que escutava os discos. Sou 1 ano mais nova que Junior, 2 que Sandy, então posso dizer que crescemos juntos. Porém, na adolescência, comecei a rejeitar algumas coisas da infância (como todo adolescente), e Sandy & Junior foi uma dessas coisas, principalmente porque achava Sandy muito certinha e isso me incomodava. Perdi contato com eles. Passei a não conhecer mais o que cantavam. E então fiquei sabendo que se separaram, Junior se interessou mais pelo lado musicista e passou a fazer projetos diferentíssimos, o que eu achei o máximo, apesar de não ser minha vibe, e Sandy fez carreira solo. Tentei ouvir o primeiro cd. Achei chatíssimo. Deixei pra lá.

Eis que semana passada, do nada, nem lembro como, o YouTube me indicou um vídeo com ela pra assistir. Era entrevista que alguém fez com ela, um muito conhecido do YouTube, mas que eu nem costumo assistir, mas tinha uma headline que me chamou a atenção, cliquei. Na entrevista, ela falava de um novo projeto onde mostrava os bastidores de seu novo álbum. Disse que o filho, Theo, aparecia. Fiquei curiosa, fui catar o tal do projeto no YouTube. Achei. Assisti um, dois, três. Adorei.

hqdefault

O projeto se chama “Nós VOZ Eles”, e é uma websérie de 8 episódios mostrando os bastidores das gravações do novo CD de Sandy, que é todo feito de participações. Toda 3a feira sai, no canal da Sandy no YouTube, um vídeo com o making of de uma música, e depois, durante a semana, o vídeo com o clipe dessa mesma música é colocado no ar.  Até agora já saíram 3 vídeos (ou 6, contando making of + clipe): o primeiro foi da música No Escuro, com participação de Maria Gadú; o segundo foi de Areia, com Lucas Lima, marido de Sandy; e o terceiro foi com Mateus Asato, que toca guitarra na música Grito Mudo. Amanhã sai novo vídeo de bastidores, mas não sei que música nem que convidado participará (ainda estão pra vir Anavitória, Iza, Melim, Thiaguinho e Xororó, pai de Sandy).

sandy-maria-gadu    sandymateus

Pra quem gosta da Sandy ou de algum dos participantes do disco ou pra quem simplesmente gosta de música a série é muito legal. Além de dar pra ver um pouco da vida particular dos artistas e de como eles se relacionam, ver o processo de fazer uma música é muito interessante. E as músicas são lindas. Diferentes das antigas de Sandy (pelo menos, as que eu ouvi), bem trabalhadas, com arranjos lindos e mudanças de tom que adorei. A minha favorita foi Areia, com Lucas, pela poesia da letra (achei muito estilo Los Hermanos, grupo pela qual sou apaixonada). E o vídeo dos bastidores é a coisa mais fofa! Lucas é muito engraçado e o relacionamento deles é daquele tipo que dá vontade de ter um igual.

sandy-1535141860

Também gostei muito de conhecer Mateus Asato, que é um guitarrista fodão que tocou com Jessie J e Tori Kelly, e Bruno Mars foi até ele dizer que admirava seu trabalho (história que ele conta aqui)! E o episódio de Maria Gadú só me fez achar a voz dela ainda mais maravilhosa! Gente, adoro!

Então, galera, aproveita que amanhã sai vídeo novo e vai lá no canal da Sandy conhecer esse novo projeto que tá arrasani!

      “Espera o tempo certo e vem.
       Não deixa passar.
      E assim…”

 

Errata: o novo vídeo não saiu na 3a feira, dia 11. Ele só sairá na 3a feira que vem, dia 18, pois será lançado um vídeo a cada duas semana, e não uma, como eu havia dito anteriormente.

Desafio fotográfico: #desafioprimeira

Olá pessoinhas!

Várias pessoas tem me perguntado o que é esse tal de desafio primeira que eu venho “hashtageando” nas minhas fotos no Instagram desde o dia quatro desse mês. Bem, hoje vim aqui para contar.

O Desafio Primeira é um desafio fotográfico criado pela Luh Testoni, fotógrafa dona de um canal no Youtube que eu sigo desde o ano passado, mas que eu sempre esquecia de assistir aos vídeos. Esse ano, porém, decidi me dedicar um pouco a uma das minhas paixões, que é a fotografia, e passei a assistir mais aos vídeos dela e também a segui-la em outras redes sociais. E foi assim que descobri o #desafioprimeira (assim mesmo, com hashtag, apesar de eu ter escrito várias vezes sem ela nesse post), que tem esse nome porque o canal dela se chama Primeira à esquerda (que também tem vários exercícios fotográficos, bem legal pra quem gosta de fotografia e quer entender um pouco mais sobre essa arte). No desafio, que já existe faz tempo (apesar de eu só ter começado esse ano), cada dia tem um tema diferente para ser fotografado e postado no instagram com a hashtag #desafioprimeira.

collage
Minhas fotos até ontem (12/01). Temas: 01. Novo começo; 02. De pertinho; 03. Café da manhã; 04. Pés; 05. Óculos; 06. Figurino de verão; 07. Tema livre (postei duas fotos nesse dia); 08. Fotografando; 09. Da janela; 10. Começa com L; 11. Brincadeira; 12. Fogo.

O legal do desafio, além de atiçar a criatividade, já que temos que tirar uma foto todo dia de um tema que não foi bolado por nós (e sim pela Luh), é poder ver as fotos das outras pessoas que também estão participando, e perceber como um mesmo tema pode gerar fotos tão diferentes. Me divirto muito procurando a hashtag e vendo como a mente dos outros fotógrafos, sejam amadores ou profissionais,  funciona. Se você também quiser participar, segue a Luh Testoni no Instagram que no final de cada mês ela coloca a lista dos temas do mês seguinte (e, além do mais, ela sempre posta fotos lindas de viver). Tô doida pra ver quais serão os temas de fevereiro, mesmo ainda estando no meio de janeiro (ansiosa, eu? imagina!). Mas se você estiver curioso pra saber quais são os temas desse mês, pode parar de roer as unhas que coloco aqui pra você.

Lista

Ah! E se você for participar do desafio, me segue lá no Instagram também (@livgbrazil) e me avisa porque quero muito ver suas fotos! 🙂

_________♥_____________♡________

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

Snapchat: liviabrazil

Meus livros!

Queria Tanto (primeiro livro, publicado em 2011)

Coisas não ditas (segundo livro, publicado em 2013)

para o blog

Andanças: Food Trucks e Suqueria Carioca

Hello!!! Como estão vocês?

Hoje não vou falar de filmes, mas coisas tão boas quanto: comida!!!!!!!!

Dia desses, teve o I Encontro Nacional de Food Trucks aqui no Rio, num lugar lindo e que eu amo chamado Parque Lage. Como adoro ir em eventos diferentes e tendo amado o festival de food trucks que fui no Planetário, chamei minha mãe e minhas tias (e Raphael, claro), e fui.

DSC_0149

Maaaaas, tivemos um pequeno contratempo: a chuva. Logo quando chegávamos no local, começou a chover. Mas pensamos: “Ah, daqui a pouco passa”. Nada disso! A chuva só aumentou! E ao passarmos pelo portal que nos levaria ao mundo mágico do food truck, percebemos que seria impossível ficar ali. Além da chuva nos obrigar a ficar o tempo todo em baixo de guarda-chuvas, estava muito cheio – o que só piorava o fato de estarmos com guarda-chuvas – e todos os lugares que foram feitos pra sentar estavam encharcados. Então imagina se ia dar pra ficar por lá com filas imensas nos furgões, nenhum lugar pra ficar, esbarrando nas pessoas o tempo todo e ainda com 3 senhoras (minha mãe e minhas tias). Não dava!

As filas imensas nos furgões.
As filas imensas nos furgões.
O truck mais fofo e que me deu muita vontade de enfrentar a fila só pra provar as delícias.
O truck mais fofo e que me deu muita vontade de enfrentar a fila só pra provar as delícias.

Mas fiquei com muita pena porque tava tudo muito lindo, bem arrumadinho, fofamente decorado. E sabia que tinha comida gostosa porque alguns dos trucks que estavam lá também encontrei no festival do Planetário. Mas achei falha da produção não pensar na possibilidade da chuva, ainda mais num período em que estava chovendo bastante, e não criar nenhum abrigo contra ela, nem um toldinho que seja! Mandaram mal nessa.

Galera se protegendo da chuva como podia - até as almofadas dos lugares pra sentar tavam servindo!
Galera se protegendo da chuva como podia – até as almofadas dos lugares pra sentar tavam servindo!

DSC_0172

Porém, o dia não estava acabado e muito menos perdido. Resolvemos ir na Suqueria Carioca, cafeteria/lanchonete que conheço desde que abriu (e, inclusive, já havia falado sobre nesse post aqui) e sou apaixonada desde então. Mamis e tias não conheciam, portanto levamos as três para experimentar. Comemos tantas coisas deliciosas que não sei como não saímos de lá rolando!

Nossos almoços deliciosos!
Nossos almoços gostosos! Tem salada, crepe, omelete de claras, e hambúrguer delícia!

Conheci a omelete de claras deles, totalmente saudável, e mega apetitosa! Era com peito de peru e queijo, se não me engano. Raphael pediu crepe de queijo e presunto, mamis pediu hambúrguer com salada (aí vem sem o pão), minha tia pediu salada e crepe também, e Vera pediu um sanduíche que dava água na boca só de olhar!

DSC_0192

Eu gosto muito de lá também porque, além de tudo ser muito bom, o atendimento é excelente! Já falei inúmeras vezes que odeio atendimento ruim, que é um dos motivos pra eu não voltar em um lugar. E também é um dos motivos pra eu voltar. E lá com certeza é um dos motivos. Sempre que vamos lá somos muito bem atendidos, sem exceção. E nesse dia a menina – que eu devia ter perguntado o nome – nos tratou super bem, foi divertida, brincalhona, e até aturou nossas piadinhas! hahahaha

Crepe de chocolate com morango do Raphael.
Crepe de chocolate com morango do Raphael.

O legal de lá também é que, como estão começando (a Suqueria tem somente alguns meses de existência), eles aceitam dicas, sugestões e críticas construtivas.  E foi o que fizemos nesse dia, porque minhas tias acharam o brownie um pouco mole demais, e avisamos pro dono, que disse que mudaria isso. Mas tirando o brownie, todas as outras coisas que pedimos de sobremesa estava totalmente divino! Meu bolo de cenoura com chocolate então… Hm…

O brownie. Bonito ele tava!
O brownie. Bonito ele tava!
Meu bolo de cenoura. Aiai, água na boca só de lembrar...
Meu bolo de cenoura. Aiai, água na boca só de lembrar…

Então não, não foi um dia nem um pouco perdido! E se vocês quiserem saber mais um pouco sobre esse dia, tem um vídeo no meu canal com imagens super legais dos dois lugares! E, se vocês gostarem do vídeo, vocês podem até seguir o canal, se quiserem. E não esqueçam também de me seguir nas redes sociais, ok?

Beijos!

Redes Sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/LiviaBrazilAutora
Twitter: @LiviaGBrazil
Instagram: @livgbrazil

1535031_10202135446521247_1053149576_n

Filme: O Grande Hotel Budapeste

Olá!!!!!

Eu queria fazer títulos mais legais e intrigantes, mas eles são óbvios e sem graça, como esse, do post que vou falar, adivinha sobre o que? O Grande Hotel Budapeste! Ê!!!!!!

073505

O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel, no original) é dos filmes mais sensacionais que já vi pelo simples motivo de ser totalmente diferente. O que, na verdade, já é algo que se espera do diretor Wes Anderson, vide seus outros filmes (Moonrise Kingdom, Viagem a Darjeeling, Os Excêntricos Tenenbaums, para citar alguns). É visível que ele tem uma preocupação para além de simplesmente contar uma história. Ele pensa em detalhes visuais também, o que é raro em Hollywood e é muito mais encontrado nos filmes independentes, que ainda se permitem ousar. Mas vamos à sinopse!

Sinopse: O filme conta a história de um lendário concierge em um famoso hotel na Europa entre as duas grandes guerras, e sua amizade com um jovem empregado que se torna seu protegido. A trama envolve o roubo e a recuperação de uma pintura renascentista inestimável, a batalha por uma fortuna de família e as lentas e então súbitas mudanças que atingiram a Europa durante a primeira metade do século XX. (texto retirado do site Omelete)

Ralph Fiennes como Gustave H. (sentado) e Tony Revolori como o lobby boy Zero.
Ralph Fiennes como Gustave H. (sentado) e Tony Revolori como o lobby boy Zero (à direita).

Falando em sinopse (ou seja, história), o filme está concorrendo ao Oscar com Melhor Roteiro Original (para quem não sabe, roteiro original é aquele que não é adaptado de nenhum outro material, como livros, peças etc, que já havia sido publicado anteriormente, diferente do roteiro adaptado) e super merece mesmo, porque não é qualquer um que faz uma história como essa. Os roteiristas do filme são o próprio Wes Anderson e Hugo Guiness. Porém, o diretor foi inspirados pelos escritos do autor austríaco Stefan Zweig (uma curiosidade: Stefan morreu aqui no Brasil, na cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro). Outras categorias que O Grande Hotel Budapeste está concorrendo são: Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Fotografia, Melhor Edição, Melhor Design de Produção (ou Direção de Arte), Melhor Figurino, Melhor Maquiagem e Cabelo e Melhor Trilha Sonora.

Quero dar ênfase a categoria Melhor Fotografia porque, pra mim, a fotografia foi o que mais se destacou no filme. Como disse Raphael (meu marido) pra mim, o Wes Anderson é um diretor com assinatura (uma marca própria), talvez um dos poucos hoje em dia (no mundo de Hollywood, pelo menos), e as cores que ele utiliza são características muito marcantes dele. Ele não usa uma cor em especial, como o Pedro Almodóvar, que sempre carrega no vermelho e em tons fortes, mas fica claro perceber a diferença nas cores que utiliza, bem puxada para tons mais claros e lavados, e que lembram algodão doce! Um exemplo:

Percebem?
Percebem? E sim, essa é a Saoirse Ronan, all grown up!

Ok que ele usa esses tons mais lavados nas cenas relacionadas à confeitaria, mas ainda assim a sutileza e escolha das cores com detalhe para cada cena fica bem claro enquanto se assiste ao filme. E como falei na confeitaria, outra curiosidade é que o próprio Wes Anderson trabalhou com o confeiteiro que fez todas as delícias do filme (juro, dá vontade de pular pra dentro da tela e comer tudo!) até chegar a um resultado perfeito que ele queria. Isso que é dedicação!

O doce "Cortesan au chocolat", carro-chefe da confeitaria do filme.
O doce “Cortesan au chocolat”, carro-chefe da confeitaria do filme. Dá água na boca só de olhar!

Eu passei o filme quase inteiro (se não inteiro) de boca aberta, e não por causa dos doces, mas por causa das cores, como já disse, e dos movimentos de câmera super diferentes. E posicionamentos da câmera, em ângulos não comumente utilizados. É por isso que o filme é tão especial, ele foi todo pensado, gente! Todo! Cada detalhe! Isso é foda demais!!!!!!!

Desculpem-me, me empolguei por um momento. Voltando à atividade normal…

Acredito que Wes Anderson é um diretor fenomenal por isso, por estudar e pensar cada detalhe, um pouco como Baz Lhurman (de Moulin Rouge) faz com seus filmes. Eu sei que ele não vai ganhar o Oscar, porque ninguém vence o Richard Linklater e seus 12 anos filmando Boyhood (não que eu não fique feliz por isso, porque amo Linklater também),  mas se ganhasse seria super justo. Vocês acreditam que ele filmou em três tamanhos de tela diferentes, um para cada linha do tempo (o filme conta 3 histórias diferentes, e cada uma se passa em um período)? Isso é fantástico! Quem pensa nesses detalhes hoje em dia? Além disso, ele enviou para as salas de exibição (lá de fora, claro) o formato de tela que o filme deveria se exibido, as configurações do áudio e o brilho da imagem. E do jeito que os atores estavam ótimos, inclusive o desconhecido Tony Revolori, demonstra que ele também é um ótimo diretor de atores.

Um exemplo de posicionamento de câmera que não é comum.
Um exemplo de posicionamento de câmera que não é comum.

Falando em atores, é notável a presença de vários atores que são presenças constantes nos filmes de Wes, como Adrien Brody, Tilda Swinton (apesar de ser impossível reconhecê-la no filme, não vou nem colocar foto pra vocês terem a mesma reação de surpresa que eu tive), Jason Schwartzman, e algumas participações especiais de peso (e também de atores que sempre estão nos filmes do Wes), como Owen Wilson (sim, eu gosto dele!), Bill Murray, Edward Norton, e vários outros atores fantásticos. Jude Law não é nem presença constante nos filmes dele, nem é um mega hiper ator, mas vê-lo sempre faz bem para os nossos corações de menininhas, então é com prazer que lhes informo que ele também está lá, lindo e de touquinha.

Jude Jude Jude Jude Jude Jude Jude!
Jude Jude Jude Jude Jude Jude Jude!

Eu tenho certeza absoluta que minha resenha sobre o filme não fez nem um pouco jus à obra prima que ele é, mas quera deixar bem claro, se ainda não deixei, que ele é um indicado obrigatório para se assistir! Porque é realmente um deleite para os olhos e uma ótima forma de se divertir porque, além de tudo, a história é bem engraçada.

Aproveitando que estamos no tema “And the Oscars goes to”, deixo meu vídeo sobre todos os filmes do Osar que quero ver, para vocês saberem quais são. E depois me digam quais já viram, quais querem ver e, principalmente, o que acharam de O Grande Hotel Budapeste!

Até o próximo post, espero que tenham gostado, e se gostaram, sigam o blog! E me sigam nas redes sociais, estarei por lá falando de filmes, livros e etc.

Redes Sociais:
Facebook: https://www.facebook.com/livia.g.brazil
Twitter: @LiviaGBrazil
Instagram: @livgbrazil

Beijos!

Presentinhos de Novembro

Aproveitando que o mês de novembro foi cheio de presentinhos fofos, que ganhei principalmente devido ao fato de que saí do lugar em que eu trabalhava, resolvi mostrá-los para vocês. Porque eles são todos muito fofos mesmo! Bazar 1. Livro fantástico do seriado Doctor Who, Treasures from the first 50 years – Doctor Who, the Values, que minha cunhada Claudia trouxe pra mim de Nova York. Se vocês quiserem conhecer o blog dela, onde ela fala sobre suas viagens, é só clicar aqui. 2. Presentinhos fofos peruanos que uma amiga trouxe de lá. Caneta de lhama, porta níquel que demorei a entender como funcionava (mas é lindo e eu tô apaixonada) e imã de geladeira pra minha coleção! 3. Plaquinha da loja Sensi que mamis me deu. Se não der pra ler direito, tá escrito: “Não é o amor que sustenta um relacionamento. É o modo de se relacionar que sustenta o amor.” Perfeito, né? DSC_0316 4. Bloquinho de gatinho para escrever “ideias, inspirações, sonhos e desejos” que a Clarissa do blog Uma garota carioca me deu. Tinha um gatinho amarelinho que parecia o meu Leo na frente, mas eu arranquei sem querer no dia que eu ganhei o presente! Sorry! #LiviaDesastrada Bazar2 5. Cordão de borboletas super delicado da Josefina. Presentinho de mamis também. 6 e 7. Brinquinho de coração e vestidinho que me foram dados pela minha amiga Letícia. Ambos eram dela e ela me deu porque eu disse que gostei. Não é uma amiga linda? Tenho muita sorte de ter amigos como ela (missing you aready, Lelê!). 20141201_115125 8. Cartinhas que guardarei pra sempre. Amo receber cartinhas e recadinhos, guardo todas e fico toda boba e emocionada. Obrigada, meninas! Bem, esses foram meus presentinhos de novembro. Tudo lindo, tudo a minha cara. As pessoas me conhecem mesmo! E vocês, o que acharam? Se gostaram do blog (e das fotos), me sigam também no instagram (@livgbrazil), no Twitter (@LiviaGBrazil) e se inscrevam no meu canal no Youtube (\Livia Brazil). Beijos!