Bienal do Livro do Rio e Setembro Literário

Pessoas, você não curtiram o Louis Garrel?????? Ah, que maldade, deixaram o menino triste!

tumblr_me1bum8sPL1ro8bfdo1_500

Não sei como puderam ignorar a belezinha mór, maaaaas ok, entendo (na verdade, não, mas tudo bem).

Mas hoje não falarei de beldades masculinas, e sim de Bienal. Quem é do Rio sabe que tá rolando aqui a XVII Bienal do Livro. Começou no dia 03 de setembro e vai até o dia 13 desse mês. Terão inúmeros debates, manhãs/tardes/noites de autógrafos, presença de autores famosos, bate-papos e muitas, muitas editoras do Brasil inteiro vendendo seus livrinhos. Como eu não estava contando ir, eu não fiz minha listinha de livros que quero comprar, mas vi um livro que estará às vendas no estande da Senac que é a coisa mais linda do mundo e eu super quero ele pra mim agora. É o Caderno de receitas da Magali. Sim, a Magali da queridíssima Turma da Mônica. Olha que lindeza!

11949386_703794533085347_8137428316458417974_n

Como não ter vontade de colocar dentro do carrinho pra levar? Não dá!!!!!! E como esse livro é lançamento, sabe quem vai estar na Bienal para assiná-lo? Maurício de Sousa!!!!!! Ah, que sonho ter uma foto com ele ou algo autografado por ele, o homem que fez mais feliz as minhas tardes de criança com seus gibis que eu devorava! Mas como todo mundo ama Maurício tanto quanto eu, é sempre impossível conseguir uma senha para pegar um autógrafo dele, então acho que esse sonho vai ficar pra uma próxima encarnação – ou pra um esbarrão casual no meio da rua que teremos um dia (o que? uma garota pode sonhar!). Mas pra quem quiser enfrentar uma filinha básica pra tentar um tet-a-têt com o criador da Mônica, ele estará na Bienal na próxima 2a feira (07/09), às 11h no Auditório Madureira (Pavilhão 4 – Verde) e a distribuição de senhas começa às 10h,  na Central de Distribuição de Senhas, localizada entre a Praça Copacabana e o Espaço Maracanã, ao lado da Praça Central, na área externa do pavilhão.

Estande da Argentina. Foto tirada da página da Bienal do Livro no Facebook.
Estande da Argentina. Foto tirada da página da Bienal do Livro no Facebook.

Outra coisa legal dessa Bienal é que o país homenageado é a Argentina e eu pago o maior pau sou apaixonada pelo país. Então, tem um estande especial do país (foto) e uma programação exclusiva com e sobre autores argentinos, o máximo!

E, como homenagem à Bienal e porque percebi que sou uma escritora que fala muito pouco sobre livro, esse mês inteirinho, lá no meu canal no You Tube, falarei sobre livros e o mundo literário. Ou seja, setembro será um mês literário lá no canal. Quarta-feira passada já coloquei um vídeo falando um pouquinho sobre a Bienal e toda quarta-feira desse mês terá um vídeo novo sobre esse universo dos livros. Se você ainda não está inscrito no canal, dá um pulinho lá e se inscreva pra saber sempre que eu postar um vídeo novo. Ah! E também se tiver alguma dúvida (ou alguma sugestão de assunto) sobre livros, vida de escritor, vida de editora ou qualquer coisa relacionada ao tema, deixa nos comentários que respondo e um vídeo, ok? Espero que tenham gostado dessa novidade do canal! E preparem-se para encontrarem mais posts sobre literatura por aqui também este mês. 😉

E que, quem for à Bienal, se divirta muito e volte carregado de livros!

_________♥_____________♡________

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

Meus livros!

Queria Tanto (primeiro livro, publicado em 2011)

Coisas não ditas (segundo livro, publicado em 2013)

1535031_10202135446521247_1053149576_n1

Youtube e como um vício só precisa de uma chama

Ando meio viciada em youtube. Começou, bem, na verdade, começou anos atrás, quando descobri a Julia Nunes, e depois quando, de algum jeito que não lembro como, sei de cara com PC Siqueira, Lola e seus vídeos críticos. Na época, eu passava meus minutos do dia vendo vídeos, mas nada como agora, quando redescobri essa plataforma/rede social. Tenho que dizer que eu sempre preferi os vídeos da galera lá de fora. Tirando o PC Siqueira, todo mundo me parecia me forçado e não-natural, e isso me incomodava. Me incomodava ainda mais o fato de a maioria dos vídeos que eu achava onde o youtuber era mulher eram sobre maquiagem, moda, estética, e todas essas coisas que não me interessam nem um tico. Mas aí achei a Kéfera e dei altas risadas com os vídeos dela – até eu enjoar do jeito dela. E então achei a Julia, mais conhecida como Jout Jout, e pronto, eu tinha encontrado minha “ídala” youtubítica. E daí entrei num vórtice de onde não consegui mais sair, porque um vídeo te leva pra outro, que te leva pra de outra pessoa, que te leva pra outra, e quando você vai ver, já se inscreveu em mai cinco canais novos. Mas, é uma pena dizer, continuo preferindo os canais estrangeiros. A galera daqui continua parecendo que tem que ser perfeito em frente a câmera, agindo totalmente não-natural e falso, muito falso. Não aguento assistir coisas assim. E as meninas continuam parecendo só querer falar de beleza. Why, girls, why? Claro que não são todas, mas a grande maioria, o que me deixa muito infeliz, porque só reforça o esteriótipo de que mulher só pensa em moda e beleza, mas enfim, existem as que não falam disso, e existem as que tem canais super hiper interessantes. E colocarei aqui meu top 5 de YoutubAs que estou kinda viciada no momento. (em breve, faço minha listinha dos meus YoutubOs favoritos).

1. Julia Nunes

maxresdefault

Como foi ela quem me levou ao mundo do Youtube, por causa dela passava horas assistindo vídeos na internet, nada mais justo de ser a primeira a ser mencionada. Julia, apesar no nome super América latina, é dos Estados Unidos (NY, apesar de agora estar morando na Califórnia) e criou seu canal pra divulgar sua música. Numa época em que eu não fazia ideia como os programas de edição funcionavam (hoje eu ainda não sei mexer muito bem neles, mas pelo menos sei o básico), ela já gravava tudo em casa, voz principal, 2a voz, fazia os arranjos e juntava tudo no vídeo e eu ficava pensando: como the hell ela faz isso??????? Mas a pergunta principal que se passava pela minha cabeça era: como uma garota com uma voz tão incrível como a dela ainda não faz sucesso? Ainda bem que hoje ela já é conhecida (razoavelmente, não é uma Katy Peery da vida) e já tem CD próprio e já foi a eventos, programas de TV e tal. Além de fazer vários shows que lotam por aí (galera do youtube é muito leal), inclusive cantou com um dos seus cantores favoritos, Ben Folds (da banda Ben Folds Five, que não existe mais). Eu gosto muito da voz dela porque é mais grave – eu não gosto de vozes agudas -, e ela passa muito sentimento pela voz. Mas chega de ficar falando sobre ela, let’s hear her!

São tantos vídeos bons (inclusive os com músicas originais dela, que são muito boas) que foi bem difícil escolher um só. Escolhi o cover de That green gentleman, do Panic! at the disco, porque foi o primeiro que eu vi, na minha fase maníaca por Panic! Mas acho que voces deveriam ver também o de Keep fishing, Tell her this, Gone e, definitivamente, o de It’s the end of the world as we know it, porque é MUITO engraçado! E se quiser ver algum de música original dela, veja Regrets. I just LOOOOOOOOOOOOOOVE this song! E eu descobri muitos artistas bons vendo os vídeos da Julia, então recomendo procurá-los também. Ah! Foi com ela que conheci (e ve pela primeira vez) o ukelele!

2. Jout Jout

Primeiro vídeo da Julia Tolezzano, também conhecida por Jout Jout, ou Jout Jout, Prazer, que vi foi esse aqui:

Não, não foi o vídeo do batom vermelho, esse só vi quando fiz minha overdose de vídeos da Julia e vi todos em menos de uma semana (na época, o canal tinha uns 40 vídeos). Gostei tanto desse primeiro (que achei na linha do tempo de alguma amiga no Facebook) que fui catar os outros e, inicialmente, eu achava que ela uma mulher super experiente de 30 e blaus anos (ou seja, mais velha que eu). Foi só em um de seus vídeos que descobri que ela tem somente 24 (agora acho que 25) anos, ou seja, mais nova que eu! E tão segura e cheia de coisas interessantes pra falar! E de uma forma tão natural! Gostei no exato momento em que assisti o primeiro exatamente por isso. Como eu já disse, tão raro encontrar vloggers brasileiras agindo de forma natural e sem medo de serem bobas ou erradas ou agir de jeito meio desajeitado, sem ser perfeita, sabe? E era tão eu isso! Nada de mulher super feminina e linda e perfeita com maquiagem e cabelo arrumado e falando a coisa certa na hora certa de maneira perfeita. Não, só um ser humano sendo ela da maneira mais natural e humana possível. Amei! Sem contar que os assuntos são interessantes, o que também é mais um ponto. E a partir de então, não perco um vídeo que ela posta!

11205092_1425331281107989_4593184004189619727_n
Imagem retirada da página “Frases da Jout Jout”, no facebook.

3. Hannah Hart

O nome do canal da Hannah é My Harto, que é como os japoneses falavam seu nome na época em que morou lá (a parte do Harto, e não do My, claro). Hannah tem 28 anos (todo mundo é mais novo que eu!!!!!) e começou o canal há 4 anos de maneira totalmente descompromissada, quando resolveu gravar um vídeo para uma amiga enquanto cozinhava (e bebia, ao mesmo tempo) e colocou no youtube. Só que não foi só a amiga dela que gostou e as pessoas começaram a pedir mais vídeos, o que ela fez. E agora tá aí, com mais de 433 mil inscritos no canal.

blog_announce_hannah

Ela inicialmente fazia esse “programa” que apelidou de My drunk kitchen, onde, como no primeiro vídeo, cozinhava enquanto bebia algo alcoólico (que é muito engraçado porque todo mundo sabe que as pessoas vão ficando altas, e vão falando besteira, e vão fazendo besteira, e vão rindo…), e em alguns vídeo chamava algum convidado (outros youtubers e pessoas famosas também). Agora, além do My drunk kitchen, faz também vlogs sobre assuntos diversos (fez até uma entrevista com Whoopi Goldberg!), tour pelos EUA de humor com amigas também vloggers e também lançou um livro com o mesmo título do programa principal de seu canal, com receitas e histórias engraçadas. Queria MUITO esse livro!

Ah! Seria bom dizer o motivo de eu gostar dela, né? É porque ela é engraçada, natural, boba, sem frescuras e faz receitas legais e fáceis e fala sobre assuntos interessantes. My kind of person!

Esse foi o primeiro vídeo do canal, primeiro episódio de My Drunk Kitchen. Achei válido escolher esse pra vocês conhecerem a Hannah.

4. Grace Hebig

Screen-shot-2012-10-12-at-2.59.27-PM

Apesar de ter essa cara de princesinha do pop, a Grace é outra das minhas. Ou seja, maluca, natural, engraçada, meio dorky (desculpa, não consigo pensar em uma palavra em português que traduza exatamente o sentido de dorky. ou de corky). Ou seja (again), nada super feminina perfeitinha. Adoro! No início, não gostei muito dela. Li em algum lugar que a Jout Jout via os vídeos dela e fui procurar. Não me chamaram a atenção. Mas então achei a Hannah e como ela é uma das melhores amigas da Hannah, apare bastantes nos vídeos dela. Depois achei Tyler Oakley (que falarei no post sobre os youtubOs) e ela também aparece bastante. E comecei a rir bastante com ela. E aí voltei ao canal dela. E então gostei. Talvez eu precisasse só me acostumar com o jeito diferente dela – ainda mais quando se espera uma atitude totalmente diferente por causa da carinha que ela tem (sim, às vezes eu julgo as pessoas pela aparência, quem nunca?).

Grace faz vídeos desde 2006 (!), mas começou a ser conhecida quando passou a apresentar o programa DailyGrace, no canal MyDamnChannel. Só que no final de 2013 ela resolveu não renovar seu contrato com o canal e criou o seu próprio, o It’s Grace, onde teve que recomeçar praticamente do zero pra conseguir inscritos novamente. Mas como muita gente já a conhecia do outro canal (e adorava), não foi difícil pra ela acumular milhares (mais de 174 mil, pra ser “exata”) de inscritos novamente.

Vou deixar também um vídeo dela com as amigas Hannah Hart e Mamrie Hart (que, incrivelmente, não tem parentesco com a Hannah) porque acho que os melhores vídeos das três são quando estão juntas.

5. Fernanda Zau/Carrie Fletcher

Fernanda (esq.) e Carrie (dir.)
Fernanda (esq.) e Carrie (dir.)

Como não consegui decidir qual das duas colocaria no Top 5, decidi colocar as duas, porque o blog é meu. Hahahahahaha Brinks. Vejo os vídeos da Carrie há muito mais tempo que os da Fernanda, mas acho os da Fernanda mais a minha cara. Ainda assim, não consegui escolher a Fernanda e deixar a Carrie de lado, então falaremos sobre as duas.

Admito que entrei no canal da Carrie Fletcher única e exclusivamente porque ela é irmã do Tom Fletcher, um dos integrantes da banda Mcfly (agora McBusted, infelizmente). Só que, como vários que escolheram assistir Carrie por esse motivo, acabei ficando porque a garota canta MUITO! Não acredita? Então olha só!

Viu do que estou falando? Acreditou agora? Com os anos, a voz dela só foi melhorando, e isso por conta de todas as aulas e dedicação, porque ela desde pequena faz musicais no teatro e agora a carreira dela como atriz de musicais deslanchou de vez (está, atualmente, na montagem de Les Miserables, peça que ela sempre teve uma grande paixão, em especial pela personagem que interpreta, Eponine – a mais legal mesmo). Porém, as músicas são a menor parte do canal da Carrie hoje em dia. Além de fazer vídeos intitulados “Dear Tom and Gi” (antigamente só “Dear Tom”), uma conversa com o irmão Tom e a cunhada Giovanna para atualizarem suas vidas umas para os outros, já que muitas vezes não conseguem se encontrar, também faz vlogs onde fala sobre assuntos diversos. O público alvo da Carrie é um pouco mais novo que eu (tô sendo muito boazinha comigo com esse “um pouco”), adolescentes de 12 a 16, 17 anos. Por isso, Carrie evita falar palavrões e tenta passar mensagens positivas porque acredita que seu público é muito impressionável e não quer passar coisas que façam mal a eles. Por causa dessa característica específica, não me identifico tanto assim com os vídeos dela, mas como já virou costume assisti-la cada vez que publica um novo vídeo, continuo entrando no seu canal (que se chama It’s way past my bed time). Mas também gosto de vê-la porque ela passa uma energia positiva muito boa e é bom saber que ainda existem pessoas legais e boas nesse mundo, me dá um pouco mais de esperança.

Já a Fernanda Zau tem muito mais a ver comigo. Um vídeo dela apareceu como recomendação pra mim e eu cliquei na fotinho dela porque ela é ruiva e ruivos kick ass (o mundo deveria ser ruivo, seria muito mais interessante). Inicialmente, achei-a um pouco escandalosa (eu já estava na fase de parar de assistir a Kéfera porque ela é muito escandalosa), a voz um pouco estridente. Mas depois deixei isso de lado quando vi que a menina tinha coisa pra falar – e um bando de coisas que eu concordava. Esse vídeo aí de cima então… Veio bem na época que eu tinha acabado de assistir a última temporada de Once upon a time e tava in love com a Regina e ela vem e me fala das vilãs, e como vilões são foda (concordo) e como a Regina é foda. Amei pra sempre! Como ela é atriz, fica super à vontade em frente a câmera, então os vídeos saem naturais, descontraídos. E eu gosto do jeito como ela fala (agora). Me identifico. Até porque a gente só assiste milhões de vídeos de uma pessoa se a gente se identificar, né? Senão, qual seria o motivo? (ok, tem vários, mas vamos fingir que só tem esse) Enfim, adoro. Assim como também adorei esse vídeo a seguir (e ela falou bem do Alfie Allen – vulgo Theon Greyjoy -, como não amar?):

Enfffffffffffffffffffffffffffim, falei pra caramba sobre minhas YoutubAs favoritas, espero ser menosprolixa quando falar dos meninos do youtube. E vocês, qual suas vloggers favoritas? Conta preu!

Ah! Também não posso ir embora sem dizer que essa que vos fala também tem um canal no youtube! E eu ficaria mmmmuito feliz se vocês entrassem e se inscrevessem no canal! Falo de um bando de coisas legais e faço coisas bem malucas, é engraçado, vocês não vão se arrepender! Vou até facilitar a vida de vocês e colocar aqui um vídeo pra vocês clicarem e se inscreverem. Tá bom? Então tá bom! (Pra quem ainda não assistiu nenhum vídeo da Jout Jout, o que tá em negrito é algo que ela fala bastante em quase todo vídeo. Referências!!!!!!!!!!!!!!!!!)

Deixei um engraçadinho, agora vai o último postado, que é sobre a polêmica em relação ao comercial de dia dos namorados da Boticário, ou seja, é um vídeo muito sério e eu muito revoltada!

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

1535031_10202135446521247_1053149576_n

Explicação

Gente, como vocês estão? Eu estou mega atarefada, como deve dar pra perceber já que estou deixando de fazer coisas imprescindíveis para esse blog. Ontem, por exemplo, era dia de Nina. E teve Nina aqui? Não. Eu sei, bad Livia. Mas é que amanhã viajo beeeeeeem cedo pro casamento da minha prima, então tô tendo que fazer várias coisas por aqui e ainda tô tendo que fazer cia aos meus gatos que moram na casa dos meus pais (nossa, que coisa difícil e chata – é ironia, gente!), então passo um tempão lá. Aí já sabe, o tempo vai correndo e quando vejo, zaz!, ele já se foi. Então queria pedir mil desculpas pela falha na programação, mas prometo que semana que vem ela já volta ao normal.

Mas logo teremos críticas (ou somente a minha opinião) de filmes e séries (Chef, Amores Roubados, Begin Again, Once, etc etc etc), mais resenhas de livros (tem Gillian Flynn, mais Matthew Quick, John Green, etc etc etc), dicas de cafés mega gostosos, fotos de viagens e mais um bando de coisa legal. E se vocês quiserem ver algo por aqui, é só pedir!

Ah! Vocês já viram o Roast do James Franco? Roast é um programa do Comedy Central onde várias pessoas se reúnem para falar mal de um determinado artista que é o “homenageado” da noite (eu nunca ia querer ser homenageada desse jeito!). Aqui no Brasil tentaram fazer uma coisa parecida e colocaram o nome de “Fritada” e o que fez mais sucesso foi o do Alexandre Frota. Não sei como é o daqui porque nunca vi, mas o das gringa é muito engraçado! Claro que tudo depende de quem vai. Eu vi o do Justin Bieber (o mais recente) e o do James Franco, e achei o do James mais engraçado. Mas talvez pode ter sido por conhecer (quase) todo mundo que foi “roast” o James: Seth Rogen (o anfitrião da noite), Sarah Silverman (adoro!), Jonah Hill, Andy Samberg (surpreendentemente, o menos engraçado), Aziz Ansari e Bill Hader (tinham outros, mas eu não conhecia). James Franco ficou o tempo todo com sua expressão chapada de sempre, porém rindo. Não muito diferente de sua cara chapada de sempre (porém, lindo). Se eu fosse vocês, iria trás do vídeo para dar umas boas gargalhadas. Tem no Netflix, mas se vocês estiverem com preguiça de procurar, podem clicar aqui para ver algumas das piadas. E depois me digam o que acharam!

E agora, para fechar esse post que não teve um tópico, mas vários eles, queria falar, para os que ainda não sabem, que tenho um canal no YouTube, onde falo várias coisas legais e pago vários micos. Tem vídeo novo toda 4a feira (era toda 4a e todo domingo, mas não tava rolando) e essa semana tem vídeo sobre inspiração pra escrever. Mas ó, aceito de sugestões de temas, viu? Ah! Em breve, farei uma listinha aqui de YouTubas e YouTubos imperdíveis – além do mim, claro! Entra lá e se inscreve no canal, porque nem sempre eu coloco o vídeo aqui (quase nunca, actually).

É isso, gente! Desculpa a confusão de assuntos e a falta de alguns outros, mas semana que vem, como prometido, o blog volta ao normal – ou assim espero! hahahahaha

Beijos!

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

1535031_10202135446521247_1053149576_n