A (nem sempre) deliciosa vida de Nina – Episódio 6

Mamãe do céu, Vida, você não sabe o que aconteceu! Vou te contar! Deixa eu te contar? Pois bem, te conto.

Lembra que semana passada eu tava falando que a gente tem que ser quem a gente quer ser, que tem que fazer o que a gente quer fazer, que tem que dizer um foda-se bem grandão pros outros (sem ser mal educada, tá) caso eles não consigam entender o que você tá a fim de fazer? Então, Vida, eu disse um foda-se bem grandão pra tudo – e até pra mim – e fiz vuco-vuco com Renato.

Eu sei, eu sei!!!!!!!!! Eu fiz exatamente o que pouquíssimos dias atrás eu disse que não faria, que eu tinha certeza ter aprendido com a vida (você) que era errado fazer, que eu sabia ser um erro. Mas pessoas sábias e evoluídas espiritualmente também tem vontades, e tá tão difícil sair pra conhecer alguém (sabe, sem emprego, sem grana), e ele tava logo ali no quarto ao lado e eu tinha visto um videozinho pornô na internet… Não me aguentei. Não deu. Ou melhor, dei.

Não, eu não estou orgulhosa de mim. Mas também não sei se estou arrependida. Pelo menos, não 100%. Talvez amanhã eu me arrependa. Talvez eu me arrependa quando Renato achar que isso vai ser algo constante e tente novamente – e eu não consiga dizer não aos seus pedidos. Mas hoje, hoje ainda não estou arrependida. Porque foi bom, né? E eu tava precisada. Ah Vida, muito tempo sem um tchaca na butchaca, sem um corpo junto do meu, sem um abraço, uma pegada mais forte, a gente sente falta. No começo é fácil. No começo, eu pensava “Ah, por que minhas amigas reclamam tanto de falta de sexo? Nem é tão necessário assim, dá pra passar sem tranquilamente”. Mas o tempo vai passando, meses, anos, você não conhece outro homem, pelo menos não um que você ache válido se entregar desse jeito ou que você conheça ou confie nos hábitos higiênicos. Aí vai dando aquela esquentada na piriquita (desculpa o termo, Vida, mas acho que podemos não ter frescuras porque, afinal, você é minha vida), e apesar de você ter seus truques para aliviar, não é a mesma coisa que ter um corpinho pra chamar de seu. Aí você acaba cedendo pro corpinho que você já chamou de seu um dia, que você conhece as fraquezas (carinho na coxa dá cosquinha) e as delícias (já a orelhinha…) e ele conhece os seus (bem, quase tudo), que já sabe como é seu corpo e não vai arregalar aquele olhão quando descobrir a manchinha ali, bem na saboneteira, e que ainda sabe fazer uma massagem daquelas. Desculpe Vida, mas não tem como resistir. Muito menos depois de assistir vídeo erótico!

Então Vida, me processe, me julgue, faça o que quiser, mas foi o que aconteceu. E tô me sentindo até mais leve, pra falar a verdade (também, depois de duas vezes seguidas chegando no clímax, como não?). E agora estamos aí… esperando pra ver qual vai ser o próximo passo. Que eu espero que ele entenda que seja continuar agindo do mesmo jeito que estávamos antes.

Mas eu tô desesperada achando que isso não vai acontecer.

Da sua,

Nina.

Explicação

Gente, como vocês estão? Eu estou mega atarefada, como deve dar pra perceber já que estou deixando de fazer coisas imprescindíveis para esse blog. Ontem, por exemplo, era dia de Nina. E teve Nina aqui? Não. Eu sei, bad Livia. Mas é que amanhã viajo beeeeeeem cedo pro casamento da minha prima, então tô tendo que fazer várias coisas por aqui e ainda tô tendo que fazer cia aos meus gatos que moram na casa dos meus pais (nossa, que coisa difícil e chata – é ironia, gente!), então passo um tempão lá. Aí já sabe, o tempo vai correndo e quando vejo, zaz!, ele já se foi. Então queria pedir mil desculpas pela falha na programação, mas prometo que semana que vem ela já volta ao normal.

Mas logo teremos críticas (ou somente a minha opinião) de filmes e séries (Chef, Amores Roubados, Begin Again, Once, etc etc etc), mais resenhas de livros (tem Gillian Flynn, mais Matthew Quick, John Green, etc etc etc), dicas de cafés mega gostosos, fotos de viagens e mais um bando de coisa legal. E se vocês quiserem ver algo por aqui, é só pedir!

Ah! Vocês já viram o Roast do James Franco? Roast é um programa do Comedy Central onde várias pessoas se reúnem para falar mal de um determinado artista que é o “homenageado” da noite (eu nunca ia querer ser homenageada desse jeito!). Aqui no Brasil tentaram fazer uma coisa parecida e colocaram o nome de “Fritada” e o que fez mais sucesso foi o do Alexandre Frota. Não sei como é o daqui porque nunca vi, mas o das gringa é muito engraçado! Claro que tudo depende de quem vai. Eu vi o do Justin Bieber (o mais recente) e o do James Franco, e achei o do James mais engraçado. Mas talvez pode ter sido por conhecer (quase) todo mundo que foi “roast” o James: Seth Rogen (o anfitrião da noite), Sarah Silverman (adoro!), Jonah Hill, Andy Samberg (surpreendentemente, o menos engraçado), Aziz Ansari e Bill Hader (tinham outros, mas eu não conhecia). James Franco ficou o tempo todo com sua expressão chapada de sempre, porém rindo. Não muito diferente de sua cara chapada de sempre (porém, lindo). Se eu fosse vocês, iria trás do vídeo para dar umas boas gargalhadas. Tem no Netflix, mas se vocês estiverem com preguiça de procurar, podem clicar aqui para ver algumas das piadas. E depois me digam o que acharam!

E agora, para fechar esse post que não teve um tópico, mas vários eles, queria falar, para os que ainda não sabem, que tenho um canal no YouTube, onde falo várias coisas legais e pago vários micos. Tem vídeo novo toda 4a feira (era toda 4a e todo domingo, mas não tava rolando) e essa semana tem vídeo sobre inspiração pra escrever. Mas ó, aceito de sugestões de temas, viu? Ah! Em breve, farei uma listinha aqui de YouTubas e YouTubos imperdíveis – além do mim, claro! Entra lá e se inscreve no canal, porque nem sempre eu coloco o vídeo aqui (quase nunca, actually).

É isso, gente! Desculpa a confusão de assuntos e a falta de alguns outros, mas semana que vem, como prometido, o blog volta ao normal – ou assim espero! hahahahaha

Beijos!

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

1535031_10202135446521247_1053149576_n

Explicações

Sabe quando você tá subindo uma escada carregando muito peso e você tá sem ar e sem forças e tudo que você quer é sentar num degrau e ficar ali, parada? A vida tá assim hoje. Então não,  não vai ter Nina hoje. E não vai ter nada. Porque eu não sou uma daquelas pessoas que consegue fingir que está tudo bem e fazer as tarefas normalmente quando está mal (quem dera ser assim), rindo por fora e chorando por dentro. Não,  eu sou totalmente sincera com minhas emoções e não consigo disfarçar.  Então melhor não escrever nada do que um post mal feito. Mas eu achava que devia uma explicação aos (poucos) que lêem meu humilde blog e minha humilde Nina.

Desculpa.

E obrigada por entender.

Livia