Filmes para ver antes de morrer

Hey guys! (desculpe, tava vendo uns vídeos de Youtubers americanos, todos eles começando com essa frase, não consegui fugir)

Aproveitando a onda cinematográfica aumentada pelo Oscar essa semana, achei que era hora de falar sobre o livro 1001 filmes para ver antes de morrer (ou, no meu caso, um pouco mais de 1001). Quer dizer, sobre o projeto que tenho em cima desse livro (que explico um pouco sobre no vídeo abaixo).

Bem, pra resumir, existe esse livro, e ele diz 1001 filmes pra se ver antes de morrer (de vários países do mundo, e não só americanos), e eu tô tentando ver eles. Na semana passada, passei um tempão marcando todos os filmes que já vi. Só que tem um problema. Como já passaram uns aninhos desde a publicação desse livro, outros já entraram na lista. Então o que fiz eu? Catei a lista mais recente e vi todos os filmes que saíram depois do último filme do livro que eu tenho (esse aí com Indiana Jones na capa). E a lista de todos os filmes que vi tá aqui – dá uma olhadinha pra ver se você já assistiu a alguns desses!

  1. Viagem à lua
  2. O grande roubo do trem
  3. Nosferatu
  4. Metrópolis
  5. Tempos modernos
  6. Branca de Neve e os sete anões
  7. O mágico de Oz
  8. E o vento levou
  9. Fantasia
  10. Pinóquio
  11. Dumbo
  12. Um dia em Nova York
  13. Crepúsculo dos deuses
  14. Cantando na chuva
  15. A princesa e o plebeu
  16. Sete noivas para sete irmãos
  17. Juventude transviada
  18. La dolce vita
  19. Bonequinha de luxo
  20. Jules e Jim
  21. West side story
  22. Vidas secas
  23. Os reis de iê iê iê
  24. Deus e o diabo na terra do sol
  25. A noviça rebelde
  26. Weekend à francesa (na verdade, eu sei que vi algum do Godard, então marquei esse pra representá-lo, porque não lembro do nome do filme, mas acho que foi esse)
  27. Mogli
  28. Primavera para Hitler
  29. Macunaíma
  30. Laranja mecânica
  31. A fantástica fábrica de chocolate
  32. O poderoso chefão
  33. Chinatown
  34. Monty Python – Em busca do cálice sagrado
  35. Cría cuervos
  36. Rocky, um lutador
  37. Taxi driver
  38. Star wars – Episódio IV
  39. Annie Hall
  40. Os embalos de sábado à noite
  41. Grease
  42. Star wars – Episódio V
  43. Indiana Jones – Caçadores da arca perdida
  44. Eles não usam black-tie
  45. Picardias estudantis
  46. E.T. – O extraterrestre
  47. Star wars – Episódio VI
  48. Amadeus
  49. O exterminador do futuro
  50. Os caça-fantasmas
  51. O clube dos cinco
  52. Entre dois amores
  53. De volta para o futuro
  54. Conta comigo
  55. Hannah e suas irmãs
  56. Curtindo a vida adoidado
  57. Top gun
  58. Mulheres a beira de um ataque de nervos
  59. Um peixe chamado Wanda
  60. Corra que a polícia vem aí
  61. Quero ser grande
  62. Duro de matar
  63. Uma cilada para Roger Rabbit
  64. Rain man
  65. Batman
  66. Harry e Sally
  67. Meu pé esquerdo
  68. Sexo, mentiras e videotape
  69. Diga o que quiserem
  70. Uma linda mulher
  71. Edward mãos de tesoura
  72. Thelma e Louise
  73. Cães de aluguel
  74. Feitiço do tempo
  75. Short cuts
  76. Jurassic Park
  77. Forrest Gump
  78. O rei leão
  79. O balconista
  80. Um sonho de liberdade
  81. Babe, o porquinho atrapalhado
  82. Coração valente
  83. Toy story
  84. As patricinhas de Beverly Hills
  85. Cortina de fumaça
  86. Seven
  87. Independence day
  88. Trainspotting
  89. Pânico
  90. Tempestade de gelo
  91. Boogie Nights (que eu vi com 12 anos, louca pra ver o dito-cujo de Mark Wahlberg!)
  92. Jogos perigosos
  93. Titanic
  94. Quem vai ficar com Mary
  95. Central do Brazil
  96. Magnólia
  97. Clube da luta
  98. Tudo sobre minha mãe
  99. Quero ser John Malkovich
  100. Beleza americana
  101. Matrix
  102. O sexto sentido
  103. Gladiador (marido diz que não posso considerar que vi esse filme porque dormi enquanto assistia, mas o que posso fazer se o filme é um saco?)
  104. Réquiem para um sonho
  105. Entrando numa fria
  106. Traffic
  107. O tigre e o dragão
  108. Amnésia
  109. O fabuloso destino de Amélie Poulain
  110. Moulin Rouge
  111. Os excêntricos Tennenbaums
  112. O senhor dos anéis
  113. Cidade de Deus
  114. Fale com ela
  115. Oldboy (o original, coreano)
  116. Adeus, Lênin
  117. Crash
  118. Farenheit 9/11
  119. O segredo de Brokeback Mountain
  120. Little miss sunshine
  121. Os infiltrados
  122. O labirinto do Fauno
  123. Borat
  124. A vida dos outros
  125. Once
  126. A rainha
  127. Piaf
  128. Onde os fracos não tem vez
  129. Na natureza selvagem
  130. Desejo e reparação
  131. Guerra ao terror
  132. Batman, o cavaleiro das trevas
  133. Quem quer ser um milionário
  134. Avatar
  135. Cisne negro
  136.  rede social
  137. A origem
  138. O artista
  139. Drive
  140. Amor
  141. Django livre
  142. As aventuras de Pi
  143. Lincoln
  144. 12 anos de escravidão
  145. Trapaça
  146. Inside Llewyn Davis: Balada de um homem comum
  147. Nebraska
  148. O lobo de Wall Street

Claro que nem tudo é lindo e tem uns filmes aí que não gostei, como E o vento levou, Metrópole, Titanic, Fantasia, West side story (pois é, um musical que não gostei, eles existem!), Deus e o diabo na terra do sol, A rainha, Gladiador, mas o saldo, no geral, é positivo! E eu AMO cinema, ver filmes é o que mais gosto de fazer na vida, então mesmo não gostando do filme no final, só estar vendo um filme já é uma delícia. Aliás, qual dos filmes que vão estrear esse ano será que vão entrar nessa lista especial dos filmes que não podemos perder por nada nessa vida? Aiai, suposições…

Enfim, aguardem, mais pra frente, resenhas e dicas sobre filmes que estão nesse livro. E se você assistiu algum desses filmes que coloquei aí em cima (ou se tem o livro e viu algum dos outros que estão nele e eu ainda não vi), me conta nos comentários o que achou deles! Quais vocês gostaram, quais não gostaram, vamos continuar essa conversa cinematográfica que é sempre a melhor de todas! 🙂

1001filmes_2014
Edição de 2014 do mesmo livro.

_________♥_____________♡________

Segue eu!

Facebook * Twitter * Instagram * YouTube

Snapchat: liviabrazil

Meus livros!

Queria Tanto (primeiro livro, publicado em 2011)

Coisas não ditas (segundo livro, publicado em 2013)

para o blog

Pra ver: Girls

Como falei sobre o livro da Lena Dunham, Não sou uma dessas, no meu blog literário (pra ler o post, clique aqui), achei que nada mais justo e propício do que falar de Girls por aqui. girls-for-real- Eu demorei pra assistir Girls pela primeira vez e, quando finalmente assisti, demorei para engrenar. Mas uma gloriosa noite de insônia me fez ver praticamente uma temporada inteira de uma vez só e viciei. E uma vez viciada, impossível largar o vício! E pelo mesmo motivo que amei o livro da Lena, também adorei Girls: me identifiquei totalmente com a personagem “mais principal”, a Hannah, interpretada pela própria Lena. Obviamente, como todos que tem uma certa intimidade com o trabalho de Lena Dunham sabem, Hannah tem muito da própria atriz, já que ela tem o costume de jogar sua vida pessoal nas telas (e páginas de livro). Por isso seus personagens acabam sendo um pouco parecidos, pois tem muito dela, e uma vez que você se identifica com um, se identifica com todos. Os que ela interpreta, pelo menos. Mas isso não é algo negativo porque, ainda assim, o resultado é muito bom. Pra mim, é muito difícil falar de algo que gostei muito, porque fico achando que tudo que eu escrever não vai ser bom o suficiente e não vai demonstrar o quanto aquilo é bom. E quando eu gosto de uma coisa, eu quero que todos vejam/leiam/ouçam também porque quero que todos experienciem a mesma sensação boa que eu tive ao ver/ler/ouvir. Mas vou tentar. E, por favor, mesmo que esse post saia uma merda bela porcaria, por favor, me jurem que vão assistir Girls!!!!!!!!!!

Só tá faltando a Marnie na foto pra completar as 4 principais da série. Mas tudo bem, ela é a mais chata mesmo.
Só tá faltando a Marnie na foto pra completar as 4 principais da série. Mas tudo bem, ela é a mais chata mesmo.

Bem, a série, que é original da HBO (ou seja, pode esperar bastante sexo, mas todos tem um motivo, não são dispensáveis), é escrita e dirigida (alguns episódios, nem todos) pela Lena Dunham e foca na vida de 4 jovens mulheres: Hannah (Lena Dunham), Marnie (Allison Wiliams), Jessa (Jemina Kirke) e Shoshana (Zosia Mamet). Há pouquíssimo tempo, percebi que as quatro tem seus sobrenomes iniciados com a mesma letra de seus nomes, portanto seus nomes completos são Hannah Horvat, Marnie Michaels, Jessa Johansson e Shoshana Shapiro. Informação inútil? Sim. Mas eu adoro essas curiosidades e detalhes e achei legal compartilhar com vocês. Tudo começa quando Hannah, uma aspirante a escritora, é informada pelos pais de que terá o dinheiro que recebe deles cortado, como forma de estímulo para que comece de verdade sua vida e veja que precisa andar com os próprios pés para chegar a algum lugar. Não dá muito certo, mas não posso falar muito mais, caso alguém aqui ainda não tenha visto. Eu ficaria desesperada no lugar de Hannah (assim como fiquei quando saí de casa). Hannah divide o apartamento com Marnie, uma garota chata pra cacete cheia de problemas, apesar de linda, e que trabalha em uma galeria de arte. Além disso também temos Jessa, mulher livre e rebelde que não segue ordens ou regras e que está voando pela vida e sua prima Shoshana, o oposto de Jessa, super inocente e não vivida – e virgem. Isso tudo, claro, no início da série. Depois, tudo muda. Ou quase tudo. Algumas coisas permanecem iguais porque não dá pra se mudar a essência de uma pessoa, né? Tem também os meninos. No começo da série, Adam (Adam Driver), Charlie (Christopher Abbots) e Ray (Alex Karpovsky). Agora, na quarta (e atual) temporada, já não temos mais Charlie (ainda bem, porque ele era tão sem sal quanto a namorada, Marnie), mas temos Desi, interpretado pelo gato ator Ebon Moss-Bachrach (outro chato. adivinha com quem ele faz par?). Tem também o Elijah (Andrew Rannells), melhor amigo e ex-namorado (porém, agora descoberto gay) de Hannah, totalmente pirado. E alguns outros personagens que aparecem vez ou outra, mas igualmente interessantes.

Os homens:  Ray, Adam e Charlie na foto de cima; Elijah do lado esquerdo e Desi do lado direito.
Os homens: Ray, Adam e Charlie na foto de cima; Elijah do lado esquerdo e Desi do lado direito.

Contada a sinopse, acho que é hora de dizer o motivo de eu gostar tanto de Girls, né? Eu gosto porque é real. Eu gosto porque nada soa falso. Eu gosto porque todas as situações são completamente relacionáveis. Eu gosto porque eles tem problemas. Eu gosto porque tocam em assuntos, muitas vezes problemáticos, como parte do cotidiano, e não como algo de outro mundo. Eu estava lendo uma crítica de Girls e me deparei com esse fato e concordei totalmente. Em outros seriados, assuntos mais sérios, como aborto ou TOC, seriam tratados em um episódio que se falaria somente disso, o foco todo seria nesse aspecto e provavelmente todos as outras situações da série levariam e teria alguma relação com esse ponto específico. Viraria um circo. (claro que aqui estamos falando de dramas, já que o estilo principal de Girls é drama, apesar de ser engraçado também) Em Girls, isso não acontece, o que torna tudo mais real e relacionável. A vida não é assim. Todos a sua volta não param para tratar de certo ponto especial. Não, você tem que se virar e aprender a lidar com esse problema, senão sua vida vira um inferno e você não anda. E isso fica muito claro em Girls: o mundo não gira ao seu redor (apesar das personagens quererem que sim, sim elas são extremamente egocêntricas, mas quem não é?). Girls é muito mais relacionável do que Sex and the city, por exemplo. Eu, particularmente, não gosto da série da cara de cavalo Sarah Jessica Parker porque é uma realidade muito diferente da minha. Mulheres ricas, que adoram roupas, e que moram em um lado da cidade de NY que eu acho que me sentiria desconfortável só de colocar o pé. Já em Girls, é todo mundo real, todo mundo ferrado de grana, todo mundo cheio de problemas, todo mundo tentando viver a vida dia a dia do melhor jeito que dá.

Ray, Hannah e Adam no café que Ray trabalha e Hannah trabalhou por um tempo.
Ray, Hannah e Adam no café que Ray trabalha e Hannah trabalhou por um tempo.

Lena toca em várias questões interessantes na série também, o feminismo sendo o principal. A atriz é uma feminista de carteirinha, todos sabem disso, e em vários episódios deixa bem claro os direitos das mulheres e sua indignação por pensamentos machistas. E também por pensamentos não-liberais, sendo abertamente democrata. Outro fato que eu sempre gostei em Girls era de Lena sempre aparecer nua em cena. Ela não tem o corpo que é considerado padrão, e pra mim ela fazia questão de ter cenas em que seu corpo aparecia exatamente para quebrar essas padrões estéticos na televisão, o que eu achava o máximo. Porém, lendo o livro dela (que eu citei na primeira frase no post), percebi que não é beeeeeeem isso. Ela diz que há sexo na série porque essa é a realidade dos jovens e não poderia fazer uma série sobre jovens sem sexo porque os jovens fazem muito sexo. E como consequência disso, ela aparece sem roupa. Tem até uma frase do livro que marquei que mostra bem o que Lena pensa sobre essa questão: “A questão subtendida, nesses casos, é definitivamente como tenho coragem suficiente para expor meu corpo imperfeito, pois duvido que a mesma pergunta fosse feita a Blake Lively.” Ainda assim, é bom vermos outros padrões estéticos na tela da tv para não acharmos que o certo é sermos mega magras, até porque essa é uma porcentagem muito pequena das mulheres, ainda mais aqui no Brasil, onde o biotipo é todo curvilíneo.

Vamos todas cair na piscina sem medo!
Vamos todas cair na piscina sem medo! Foda-se os padrões!

Girls também tem um aspecto legal que eu, particularmente, não ligo, mas sei que muitas gostam, que são as roupas. Muitas delas são da boutique da mãe da Jemina Kirke (intérprete da Jessa), que também emprestava suas roupas para a série Sex and the city. Então são super bonitas e estilosas. Falando em estilo, cada personagem tem um, então dá pra se deleitar com diversas roupas e penteados de cabelo diferentes. Eu gosto muito das roupas usadas pela Hannah, mesmo tendo algumas que eu nunca colocaria na vida! Hahahahahaha E falando em cabelo, eu fiquei completamente apaixonada pelo corte de cabelo da Zosia Mamet (que faz a Shoshana) nessa quarta temporada. Pra vocês terem ideia, eu achava a atriz bem feinha até ela aparecer com esse novo corte. Agora a acho linda! E a Shoshana é, sem duvida, minha personagem favorita das meninas. Dos meninos, fico entre o Adam e o Ray, mas o Ray é tão problemático que acho que escolherei ele! Já a personagem que menos gosto acho que nem preciso falar, né? (mas é a Marnie, Ô garota sem sal!!!!!!!!!! e chata!!!!!!!!)

O cabelo novo da Zosia/Shoshana, que eu tô apaixonada!
O cabelo novo da Zosia/Shoshana, que eu tô apaixonada!

A trilha sonora também é bem legal. Claro que não vou lembrar de nenhuma música em particular agora, mas sei que volta e meia eu penso “putz, que música boa!”. Do mais, preciso falar que Girls já foi confirmada para mais uma temporada (yay!), ou seja, ano que vem tem mais Girls por aí! Mas por enquanto vamos todos desfrutar da quarta temporada, que está passando ainda na HBO, aos domingos, meia-noite (de domingo para segunda). Ou então, se você tem NET, pode esperar e ver no Now, como eu faço. O episódio novo sempre no meio da semana, na 3a ou 4a feira. Ou então baixar, né? Com certeza tem disponível por aí. E depois, por favor, venham aqui me dizer o que acharam porque eu quero que todo mundo ame tanto quanto eu!!!!!!!

Essa foto é só porque eu percebi que desgosto tanto da Marnie que não tinha colocado nenhuma foto em que ela aparece antes. Só a de biquíni, mas não dá pra ver seu rosto.
Essa foto é só porque eu percebi que desgosto tanto da Marnie que não tinha colocado nenhuma foto em que ela aparece antes. Só a de biquíni, mas não dá pra ver seu rosto. Ela é a que tá sentada na cadeira da mesinha.